Você sabia que o Direito está entre os cursos de Ensino Superior com maior número de inscritos no Sisu? Segundo uma pesquisa da IDados, uma instituição voltada para a ciência de dados, os formados em Direito têm o salário mais alto entre os dez cursos com mais inscritos no Sisu — além da maior progressão financeira, do ganho inicial ao patamar médio da carreira: um salto de 195% na remuneração.

E, bem, se levarmos em conta que o salário é um dos fatores mais importantes na hora de escolher uma carreira, até que faz sentido o curso de Direito ter tantos interessados, certo?

Mas você tem ideia de quanto ganha um profissional de Direito? Continue lendo e descubra!

Leia mais: Coleção Direito Civil Brasileiro: saiba mais sobre os 7 volumes

Médias salariais das principais carreiras jurídicas

A Robert Walters, uma consultoria global de recrutamento de profissionais especializados e que atua em 28 países, realiza todos os anos uma pesquisa salarial para mapear os ganhos médios das mais diversas áreas de atuação.

Analisando os números relacionados ao Direito, percebemos que os salários se mantêm em um patamar elevado, principalmente se compararmos aos de outras profissões.

Em um escritório de advocacia, por exemplo, a média do salário anual para o menor cargo — de Associado Júnior — em 2018 foi de 70 a 115 mil reais, sem contar bônus e benefícios. Mensalmente, o menor salário mensal para este cargo (muito comum a profissionais recém-formados) seria em torno de R$ 5.800.

Já em empresas, o advogado de nível júnior tem um ganho semelhante – de 70 a 90 mil reais ao ano.

É importante ressaltar, porém, que esses números são apenas uma média e não representam a realidade encontrada em todos os lugares. Geralmente, a regra que se muito por aí é: quanto maior o escritório de advocacia ou a empresa em questão, maiores (provavelmente) ser os salários.

De novo, no entanto, é preciso destacar que isso também não é uma regra. Os salários pagos aos funcionários variam e dependem de uma série de fatores.

Salários em carreiras públicas

Não é segredo para ninguém que funcionários públicos ganham salários extremamente altos. E muitos deles são formados em Direito, embora nem todos possam ser considerados advogados de fato — para isso, é necessário ter sido aprovado no exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e não são todas as carreiras jurídicas públicas que exigem o certificado.

Mas qual o salário dos aprovados em concursos públicos? Depende muito da carreira.

Se você quiser ser um auditor fiscal da Receita Federal (velha conhecida dos estudantes de Direito por oferecer bons salários), sua remuneração poderá ser de até R$ 15.000,00 — contra-cheque semelhante ao de um delegado da Polícia Federal (pouco mais de R$ 14.000,00).

Por sua vez, consultores legislativos e analistas legislativos do Senado Federal (ambos com ensino superior) ganham salários iniciais na faixa dos R$ 24.000,00 e R$ 20.000,00, respectivamente.

Evidentemente que, quanto maior o cargo público, maior também serão a remuneração e os benefícios. Juízes, por exemplo, ganham muito mais do que um analista judiciário, por exemplo.

Os perfis mais procurados do mercado

Apesar dos salários altos para as mais diversas carreiras do Direito, é de se esperar que, com grandes remunerações sendo oferecidas, a concorrência também deve ser enorme. E é! Além de ser um dos cursos mais disputados do país, o número de inscritos para as provas de concursos públicos também assusta.

Assim, nem é preciso falar da importância de ter diferenciais que façam seus concorrentes comerem poeira, certo? E como fazer isso? Procurando entender o que os contratantes esperam. E isso vai muito além das suas qualificações técnicas: aguçar a parte comercial da coisa também é um aspecto muito valorizado. Sabe o bom e velho poder de persuasão? Está bem em alta entre os profissionais da área.

Hoje em dia, a habilidade de desenvolver um discurso comercial eficiente e, consequentemente, captar novos clientes é uma qualidade tão valorizada quanto a profundidade dos seus conhecimentos jurídicos.

Para trabalhar em grandes escritórios, por outro lado, ter habilidade política também ajuda o profissional a crescer e a se relacionar internamente com seus colegas. Em empresas, no entanto, valoriza-se mais aqueles que têm visão de negócio.