Para quem tem formação em Direito, as possibilidades no mercado de trabalho vão muito além da tradicional atuação como advogado em um grande escritório. Desde cargos no setor público até o exercício de atividades de gerência em empresas de grande porte, a área do Direito traz algumas carreiras jurídicas específicas que trazem aos profissionais mais do que altos salários.

Benefícios, estabilidade e, claro, muita concorrência fazem parte do dia tanto de quem já está em uma dessas carreiras jurídicas badaladas quanto de quem pretende atuar em uma futuramente.

Para lhe ajudar em sua preparação, e antecipando alguns detalhes da vida profissional, separamos abaixo as seis principais carreiras jurídicas com prestígio. Continue lendo, amplie seu horizonte de possibilidades no mercado de trabalho e sonhe alto! Por que não?

6 carreiras jurídicas mais badaladas

1. Juiz

A magistratura é uma das carreiras jurídicas mais valorizadas na área do Direito, e se tornar juiz é o objetivo de muitos profissionais formados — e até mesmo de muitos estudantes que acabaram de entrar na faculdade.

Para chegar a este cargo, porém, é necessário prestar e passar em um concurso público extremamente concorrido. Trata-se de uma posição de muita responsabilidade, pois o juiz (também chamado de magistrado) é dotado de autoridade para exercer a chamada “atividade jurisdicional”, ou seja, julgar conflitos de interesse que lhe são submetidos para apreciação.

Em outros termos, é ele o responsável por resolver conflitos e manter a pacificação social. Dentre suas funções, estão examinar autos de processos, proferir sentenças ou despachos e até presidir audiências no tribunal. Dependendo da jurisdição, juízes podem trabalhar em fóruns ou tribunais.

Leia mais: Tendências do Direito para 2019: conheça as 4 principais

 

2. Gerente jurídico generalista

O gerente jurídico, como o próprio nome indica, é o profissional responsável pelo setor jurídico de uma empresa. Geralmente, ele atua em duas frentes principais: atendimento a demandas internas e auxílio em questões estratégicas para os negócios da corporação.

Tendo isso em vista, em muitos casos é necessário ter mais do que formação em Direito, mas também especialização em Direito Empresarial ou Trabalhista.

A maioria dos profissionais que chegam a este cargo atuaram anteriormente como advogados. No entanto, com o reaquecimento do mercado, questões estratégicas em empresas estão em tendência de alta, e por isso espera-se um olhar aguçado para os negócios relacionados à área jurídica por parte deste profissional.

3. Advogado de relações institucionais

Para os que se interessam muito e acompanham o dia a dia do Congresso Nacional, uma opção entre as carreiras jurídicas mais badaladas pode ser a atuação como advogado na área de relações institucionais.

Esse profissional deve estar antenado sobre qualquer proposição legislativa que, de alguma forma, possa impactar na economia ou no âmbito das empresas.

Para um cargo com tarefas desse tipo, é esperado que o profissional seja dotado de um amplo conhecimento na área do Direito Público. Questões regulatórias e políticas, dependendo da sua natureza, podem afetar a agenda de uma empresa. Por isso, é necessário que o advogado de relações institucionais esteja preparado para, ao menos, prever uma situação desta natureza.

4. Desembargador

Certamente, um dos cargos de mais prestígio no âmbito jurídico é o de desembargador. Basta ver os números: no Brasil, há menos de dois mil desembargadores em exercício atualmente. Ou seja, são pouquíssimos os que de fato podem-se dizer “desembargadores”.

Essa função pode ser considerada como uma “evolução” do juiz, uma vez que cabe a ela julgar casos judiciais em segunda instância.

Isso quer dizer que os casos que não forem resolvidos em primeira instância (que são competência dos juízes), passam para o segundo juízo.

A grosso modo, o desembargador é como um juiz, mas não há um concurso público específico para chegar a este cargo. Para isso, é necessário anos de dedicação, estudo e destaque dentro da magistratura.

5. Advogado consultivo

Da função de advogado, espera-se um profissional contencioso, ou seja, capaz de resolver questões judiciais por meio de ações e de defender ou autuar determinados casos na Justiça. Esta, de fato, é uma das funções mais comuns na área do Direito. No entanto, o advogado consultivo não tem essa função. Mas não se engane: sua importância também é enorme!

A advocacia consultiva trabalha para prever riscos na gestão empresarial. Isso ajuda principalmente a impedir que eventuais mudanças estratégicas afetem a empresa dentro do âmbito jurídico.

Além disso, é responsabilidade do profissional desta área auxiliar no cumprimento de demandas judiciais que envolvam custos – trabalhando, então, para que eles sejam reduzidos. O advogado consultivo pode atuar em diversas áreas do Direito dentro de uma empresa, desde o ramo trabalhista até o tributário.

6. Analista de compliance na área jurídica

Pensando em questões internas e externas de uma corporação, analistas de compliance são profissionais valorizados que têm a incumbência de garantir que o relacionamento com clientes, fornecedores ou com qualquer outro receptor esteja de acordo com as diretrizes e a ética estabelecidos pela empresa.

Na área jurídica do compliance, o especialista trabalha atentando às questões que se enquadram apenas neste setor – deixando a parte contábil para um contador ou para um administrador de empresas. Este profissional ainda atua como uma espécie de “fiscal” interno da corporação, garantindo, por exemplo, que os contratos respeitem as exigências da lei.

Casos recentes de corrupção e irregularidades no país envolvendo grandes empresas ligaram o sinal de alerta no âmbito empresarial em relação à importância da área de compliance. Esta, portanto, é uma área que está mais valorizada do que nunca — e com grandes possibilidades de crescimento já a partir de 2019.