Geralmente, todo estudante de Direito adquire um Vade Mecum logo quando entra na faculdade, devido à necessidade de utilizá-lo em provas, trabalhos e outras atividades do curso.

Conforme o volume de matérias a serem estudadas aumenta, maior é a frequência com que os estudantes lançam mão dos livros. Você sabe como é: leva o Vade Mecum de casa para a faculdade, da faculdade para casa, carrega na mochila para vários lugares, amassa, cai água…O uso excessivo do Vade Mecum acaba desgastando a obra se não houver alguns cuidados básicos.

E é importante tomar conta do livro, até porque a nova edição costuma demorar um pouco para sair — pelo menos uma vez a cada seis meses –, e até lá é bom que você tenha em mãos um Vade em boas condições para poder manuseá-lo e usar até quando puder.

Para isso, separamos abaixo cinco dicas simples para cuidar bem do seu Vade Mecum. Confira!

5 dicas para cuidar bem do seu Vade Mecum

1. Limpe o miolo e a capa do seu Vade Mecum periodicamente

Para manter qualquer livro conservado e sem manchas ou outras marcas de uso e tempo, é necessário que ele seja limpo periodicamente, a fim de evitar, principalmente, a concentração de poeira no miolo e na capa. Em épocas do curso em que o Vade Mecum estiver a maior parte do tempo em casa, possivelmente na sua estante, recomenda-se limpá-lo semanalmente.

A capa, por ser resistente, dificilmente será afetada pelo pó no curto prazo, podendo, então, ser limpa com o uso de qualquer tipo de pano. No entanto, o miolo deve receber um cuidado maior — de preferência, semanal –, também utilizando uma flanela ou até mesmo um pincel para que a limpeza seja ainda mais precisa.

2. Evite deixar o livro em contato direto com a luz do sol

Estudar ao ar livre, em um dia ensolarado com uma temperatura amena é, de fato, uma forma agradável de aprender e se sair bem em eventuais provas ou atividades da faculdade. No entanto, é importante saber que o contato do sol pode ser prejudicial para o seu Vade Mecum. A luz pode ser um fator agravante para que a tintura do livro – principalmente da capa – desbote, por exemplo.

Outro ponto a se observar é que o contato com o sol pode ser prejudicial à elasticidade das páginas, dificultando o seu manuseio – e, consequentemente, o seu estudo. Mantê-lo em um local arejado é sempre a melhor opção não só durante o uso, mas também para guardá-lo.

3. Manuseie o Vade Mecum apenas com as mãos limpas e secas

Outro fator que pode prejudicar a tintura de qualquer livro é o seu manuseio com as mãos sujas – mais precisamente suadas e oleosas. O suor pode ser prejudicial tanto para a capa quanto para o miolo, gradativamente desgastando e “apagando” o conteúdo do seu Vade Mecum. Por isso, seque as mãos sempre que for consultá-lo.

Além disso, é recomendado que ele não seja manuseado durante uma refeição ou qualquer outra atividade que, por acaso, seja possível sujá-lo. Caso alguma página suje de comida ou algo do tipo, dificilmente a marca poderá ser removida. Para atenuar a situação, pode-se utilizar um pano úmido para remover o alimento – no entanto, esse método, ainda que limpe a página, enfraquecerá o papel, podendo deixá-lo suscetível à amassados ou até danificações mais graves.

4. Cuidado com o uso de fitas adesivas e evite o uso de marcadores de metais

Os clips são muito utilizados como marca-página para livros, sendo, em tese, prático devido ao seu tamanho e à garantia de que a página em questão será, de fato, marcada, sem a possibilidade dele se soltar – algo que pode acontecer com marca-páginas de papel. No entanto, atente-se para o fato de que, sendo feito de metal, ele pode enfejurrar e, literalmente, marcar a página.

Fitas adesivas também podem levar a esse resultado, com um efeito diferente em relação à ferrugem. Elas costumam ser utilizadas para plastificar a capa e contracapa de livros didáticos, e, dependendo do local em que ela for fixada para segurar o plástico, o material da parte de dentro da capa pode ser prejudicado.

5. Atente para a limpeza da sua mochila ou estante

Da mesma forma que é importante estar com as mãos limpas na hora de manusear o Vade Mecum, atente para a limpeza dos locais em que o livro poderá estar ao longo dos dias — como a mochila e a estante. Certifique-se, então, de que não há nada que potencialmente possa sujar o seu Vade Mecum.

Canetas sem tampa ou restos de lápis em apontador são dois exemplos que, em contato com livros, podem deixá-los com marcas ou, com o passar o tempo, amarelar suas páginas. O pó da estante também não fica para trás e, como dito anteriormente, deve ser retirado do próprio Vade Mecum.

 

Qual o melhor momento para comprar um Vade Mecum? Baixar!